Montfort Associação Cultural

1 de setembro de 2004

Download PDF

Alteração do Sexto Mandamento

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Julia N
  • Idade: 24
  • Localizaçao: Rio de Janeiro – RJ – Brasil
  • Escolaridade: Superior concluído
  • Religião: Católica

Olá!

Por que a Igreja diz que não podemos pecar contra a castidade e não podemos ter relações sexuais antes do casamento, se, nas Tábuas da Lei entregues a Moisés com os 10 mandamentos, está escrito apenas Não cometerás adultério (Ex 20, 14), como sendo o sexto mandamento?

Por que houve a mudança do Não cometerás adultério para Não pecar contra a castidade ? Procurei uma resposta no Catecismo, mas este se limita a dizer que: “A Tradição da Igreja entendeu o sexto mandamento como englobando o conjunto da sexualidade humana”.

Desde já, agradeço de coração a atenção dedicada,

Julia

Prezada Júlia, salve Maria!

Muito lhe fico agradecido por sua confiança.

Repare que o pecado de homossexualismo praticado em Sodoma e Gomorra também não aparece explicitamente no decálogo. Entretanto, Deus condenou esse pecado e exterminou todos os habitantes dessas cidades. Também o pecado de Onam não aparece no decálogo. E Deus o condenou explicitamente no Antigo Testamento. Por isso também São Paulo cita a sodomia como pecado.

Quando o fariseu perguntou a Cristo qual era o maior mandamento, Cristo resumiu toda a lei a dois mandamentos. E quando o moço rico perguntou a Jesus que mandamentos devia obedecer, Jesus não respondeu citando os dez mandamentos com as mesmas palavras do texto do livro do Êxodo.

Toda violação da lei de Deus, é sempre um ato irracional. Por isso a Igreja agiu com perfeita verdade ao condenar todos os atos sexuais que contrariam a razão. A finalidade primeira do sexo é a procriação. Por isso tudo o que contraria essa finalidade é condenável como pecado.

Esperando ter elucidado a sua dúvida me despeço amistosamente,

in corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli.

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais