Montfort Associação Cultural

13 de maio de 2007

Download PDF

Algumas ´impressões` da chegada do Papa ao Brasil

Autor: Marcelo Fedeli

Caro Orlando, salve Maria!
 
Algumas impressões sobre o pouco que vi da chegada do Papa na Base Aérea de Cumbica, em meio às mais ‘altas’ [Sic!.. e em todos os sentidos...] autoridades do Brasil.
 
[Eu me encontrava no angar imediatamente ao lado daquele em que o Papa foi recebido, junto a um monte de soldados rasos do quartel, espreitando, entre capacetes, capas, cabeças e orelhas, o local onde o avião pararia].
 
A atenção de todos estava na pista aguardando o avião, apesar de lá estar Lula e Cia… Parecia que só o Papa existia.
 
Todos [soldados, civis, autoridades, funcionários do Governo de todos os níveis, Seguranças, etc] ‘pareciam ser católicos’, tão ansiosos se acotovelavam para encontrar o melhor ângulo para ver e tirar fotos do Papa.
 
No angar, o falatório geral dos soldados durou até se abrir a porta do avião, quando  se fez um incrível silêncio, silêncio total, só rompido quando o Papa, lá do alto, todo branco, surgiu e acenou: no angar, palmas e gritos de “Viva o Papa”!…

Não parecia estar neste ateu e materialista Século XXI !!…
 
Rápido, ele desceu pela escada, e rápido desapareceu no angar ao lado, em que foi recebido e discursou. 
 
Sem dúvida alguma para todos, queiram ou não, o Papa é a pessoa mais importante do mundo! … E por que aquele homem, todo branco, e idoso e frágil, é assim recebido neste nosso tempo tão mundanamente forte e ateu?…

Fica claro e patente que naquele velho homem branco há algo de sobrenatural, que é justamente o fato de ele ser o representante de Nosso Senhor Jesus Cristo, e que é de Deus que lhe vem todo o poder até mesmo sobre este mundano mundo moderno. O Bush, com  todo o seu poder bélico e monetário, se lá estivesse, ficaria no mesno nível do Lula, Serra…e cia. Ltda. etc… Diante do Papa, “cessa tudo quanto  poder mundano canta…que o poder mais alto se alevanta …”
 
Mudando de cena, notei um fato no mínimo ’curioso’ : os nossos bispos, que, em geral, nestes tempos pós conciliares se vestem como “as simples pessoas do povo“, ou, em ocasiões mais solenes, usam algo às vezes parecido com o clergyman, repentinamente tiraram antigas batinas — vai-se lá saber a quem pertenceram, e certamente exalando môfo misturado com o ’perfume’ das brancas bolinhas de naftatalina — e, dentro delas se ‘ajeitaram’…  puxando ali e dobrando acolá — e, como os antigos bispos, solenes, surgiram no gramado do Pacaembu!…

Por que será?…
 
Um abraço
Marcelo
 
PS: Acho que valeria a pena procurar fotos dos bispos, nas missas  das assembléias da CNBB,  em Itaici, e compará-las com fotos deles de ontem, solenes, no Pacaembu.


Caríssimo Marcelo, meu irmão de sangue e, muito mais ainda, de Fé e de combate,
Salve Maria.
 
     ”À quelque chose malheur est bon”
     Quando o Papa aparece, tudo fica sem valor maior, pois ele é o Vigário de Cristo, o doce Cristo na terra, como dizia a doce Santa Catarina di Siena.
     Você me fala dos Bispos de batina… E solenes…
     Pois soube de um, que teve destaque no Pacaembu na cerimônia de ontem à noite, e que costuma ir ao shopping de sua cidade de camisa aberta e de calças jeans…
     Ontem, ele estava solene, lá no Pacaembu.
     Ainda bem.
     Pelo menos uma vez.
     De seu irmão que tanto o estima,

in Corde Jesu, semper, 
Orlando. 

PS. O tal Bispo de camisa aberta, ontem, deve ter gostado mais da “Aquarela do Brasil” e das musiquinhas que cantaram do que do Papa.. Pois o Papa falou de cada coisa esquisita…O.F.


El Papa desciende del avión

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Agradecimento - Orlando Fedeli

Notícias e Atualidades: João-Paulo II, um Papa espionado até no Vaticano

Cartas: Para onde caminha Bento XVI ? - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais