Montfort Associação Cultural

12 de janeiro de 2010

Download PDF

Admirável respeito de um espírita para com a Igreja Católica e a Montfort

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Edeorande Faria
  • Localizaçao: Mauá – SP – Brasil
  • Escolaridade: 2.o grau concluído
  • Profissão: Policial Militar
  • Religião: Espírita

Estou aguardando a Resposta desta associação com o nome de Montforte , que perdoe-me de cultural não tem nada.

Vivemos em um país democrático, onde gozamos de plena liberdade de pensamento de ações e assim por diante. Existe a Constituição que garante a todos os cidadões, a referida liberdade.

Esta “associação cultural” deveria pelo menos respeitar a opção religiosa de quem quer que seja.

Este sujeito que escreve estas besteiras sobre o Espiritismo e outras denominações religiosas, queira ele ou não, pois aos espíritas e outros seguidores de qualquer religião sua opinião pouco , mas pouco mesmo, não nos importa, deveria aprender a respeitar os seu semelhantes, coisa que ele não sabe fazer.

Mas nós sabemos o porquê desse ódio que ele tem pelas outras agremiações religiosas, tais conmo o Espiritismo.

Acontece que ele está acostumado a receber plena obediência de seus seguidores, coisa que aquí com os espíritas e os demais ele sabe muito bem que não terá esta obediência.

O tempo do ” ou crê ou morre na fogueira da inquisição, que este sujeito defende, graças à Deus já passou.

Pode continuar atacando de todas as formas possíveis e impossíveis o Sr Allan Kardec, que aos espíritas, que vivem em plena liberdade de pensamento e expressão como eu, sujeitos como você deveria estar recolhido em cárcere privado, para não ficar atacando, atacando e atacando as pessoas , pois é a única coisa que sabe fazer.

Interessante é o seu pedido de contribuição para esta “associação cultural” depois de tantos ataques pessoais.

Sugiro que você vá procurar um emprego e trabalhar como todo mundo faz.

Finalizando gostaria que você ficasse sabendo que através dos seus ataque pessoais ao Espiritismo, nossas Casas Espíritias estão cada vez mais repleta, com um público que já está cansado de ouvir falar sobre: céu, inferno, demônio, rituais, salvação e sempre a mesma cantiga, que sustentou o Vaticano e toda cúpula católica, que assassinou milhares de pessoas durante o período da Inquisição, criada pelo Papa Gregório IX em 1231, que tinha por missão, descobrir e julgar os heréticos.
Os condenados pela Inquisição eram entregues às autoridades administrativas do Estado, que se encarregavam da execução das sentenças.
As penas variavam desde a confiscação dos bens até a morte na fogueira, seja homens , mulheres, idosos ou crianças em torno de aproximadamente 2 a 3000 pessoas segundo dados históricos.
Você conta isto à seus seguidores Sr Montfort?????
E ainda vem criticar Espiritismo e outras agremiações religiosas???
Toma vergonha na sua cara, que é o que você está precisando, seu intelectóide de meia tijela.
Cuide de levar´a palavra de Deus, os ensinamentos de Jesus à seus seguidores, que é o que você não faz, não que você não saiba, pois demonstra ter profundo conhecimento, pena não saber utilizá-lo.

Fale das torturas também autorizadas por sua santidade, aos que não queriam seguir os princípios da igreja católica, fale .

Deixe o Espiritismo, Kardec e os espíritas em paz e siga seu rumo, se é que você tem algum.

Ninguém tem medo de seus ataques pessoais, pois esta é uma características de pessoas covardes.

Até mais

Muito prezado Edeorande, salve Maria.
 
Tomo nota de seus “respeitosos elogios” à Montfort e suas demonstraçães de “respeito” à Igreja Católica.
 
Saiba que sua carta serve para alguma coisa: o Quadro de Honra da Montfort.
 
In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Não dou moral, pra quem não tem moral… - Orlando Fedeli

Cartas: A dona Amgela Rangel defende Padre Leo

Cartas: Voz que clama na cidade - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais