Montfort Associação Cultural

26 de janeiro de 2005

Download PDF

A Verdadeira Fé

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: João C.
  • Localizaçao: Olinda – PE – Brasil
  • Religião: Católica

Prezados integrantes da Montfort,

É com grande relutância que envio essa minha dúvida para os senhores. Acho que servirá apenas para atrapalhá-los, mas peço gentilmente que a analisem. Seria de grande ajuda para minha vida espiritual.

Ainda era pequeno e não sabia exatamente como era esse negócio de religião quando comecei a freqüentar a Igreja Evangélica. Depois de amadurecer durante os anos passei a apreciar a Bíblia. Após sua leitura cuidadosa várias vezes, comecei a duvidar de alguns dos princípios do calvinismo. Reneguei-o e passei a freqüentar a Igreja Católica Romana. Durante muito tempo fui seu adepto fiel e dedicado.

Anos se passaram até que comecei a ver a Igreja Católica com outros olhos. Foi na época dos escândalos sexuais envolvendo clérigos. Fiquei chocado com a notícia e resolvi investigar. Descobri que isso acontecia apenas entre católicos. Pastores, por exemplo, não precisam satisfazer seus prazeres carnais em crianças inocentes e ingênuas pois já têm uma esposa em casa. O fato é que a aquela regra de castidade existente entre católicos era muito dura para os pobres padres. Minha fé na eficiência das leis da Igreja de Cristo tinham sido abaladas, mas não o bastante para eu renegá-la.

Ponha mais uma ano na frente e outro incidente triste acontece. Uma querida amiga minha de muitos anos, católica fervorosa, falece devido a um parto difícil. Aliás, mortal. Os médicos já haviam informado-a que se ela fizesse o parto, morreria devido a um problema em seu aparelho reprodutor. Sugeriram o aborto. Ela recusou. Tudo por causa de uma lei Católica elaborada por alguém que nunca viu uma amada amiga morrendo por causa de um parto que poderia muito bem ser abortado. Pensei se ela poderia ter evitado tudo isso tomando algum anticoncepcional, mas lembrei-me que a Igreja só permite um método, que é falho e não protege contra certas doenças e infecções. Era a última gota. Os católicos que acreditassem no que quisessem. Eu estava fora.

A partir de então tracei um longo caminho buscando a minha verdadeira fé. Não podia acreditar num grupo de pessoas que tinha a abandonado a verdadeira Igreja do Senhor, que por sua vez estava sendo corrompida e infestada de princípios que não mais funcionavam na época atual. Via a Bíblia com o olhar cheio de dúvida perguntando se aquilo não era somente um conto muito bem elaborado por um revolucionário chamado Jesus e seus seguidores, que queriam que suas idéias fossem aceitas pela sociedade. Era chamado de ateu e visto como pessoa do mal.

Mas na verdade eu só queria ser compreendido e compreender. Comecei a sentir falta da alegria que apenas Deus dá e tentei voltar. Após ver o trabalho do Grupo Monfort vi uma luz no fim do túnel e decidi conferir se eles poderiam trazer-me o esclarecimento. Eis a pergunta:

Seria contra a palavra de Jesus adaptar certas regras da Igreja Católica para os dias de hoje, como permitir o aborto em determinados casos (estupro, risco para o bebê ou para a mãe, etc) ou autorizar o uso de anticoncepcionais eficientes? Se sim, quais são as implicações religiosas? Se não, o que o Vaticano está esperando?

Outra questão que me importa é sobre a atual profanação da Igreja Católica, como já se tem observado nesse site. Isso também está dificultando o meu retorno ao catolicismo. Gostaria de sugestões para saber como exercer minha fé sem ter que ouvir esses deturpadores da palavra de Cristo ou freqüentar esses antros de salvação fictícia.

Gratos de sua atenção,

João C.

Muito prezado João, salve Maria!

Li sua carta com toda a atenção e lamentei tantos enganos em sua vida.

Permita-me dizer-lhe francamente que você deve pedir a Deus que lhe conceda a graça da Fé. Peço-lhe que reze a Nossa Senhora que obtenha de Jesus Cisto, seu divino filho, as graças de que você precisa.

Você erra ao julgar que os problemas criminosos ocorridos com sacerdotes católicos, nos Estados Unidos, tenham sido causados pelo celibato. Como erra também, julgando que, entre os pastores protestantes, esses crimes não acontecem. Ainda há pouco, foram publicadas notícias e estatísticas demonstrando que casos semelhantes — e numerosos — ocorrem também em seitas protestantes. A causa desses crimes não é, de modo algum, o celibato.

Uma das causa é a péssima escolha de elementos para os seminários. Ainda agora, tive notícias sobre o que ocorre em certos seminários, aqui, no Brasil, e o que se constata é o mesmo que nos Estados Unidos: há praticamente uma preferência pelos maus candidatos que apresentam problemas de ordem sexual que raramente são expulsos (veja também: http://www.montfort.org.br/veritas/goodbye.html).

O papa João Paulo II exigiu tolerância zero para esses casos, mas isto não é posto em prática. Desobedece-se ao Papa, infelizmente.

Recentemente, em São Paulo, foi condenado um médico por crime semelhante. Nem por isso a Medicina é condenável. Também a Igreja não pode ser culpada pelos crimes de maus sacerdotes.

Quanto à questão do aborto, não é licito usar um meio mau para obter um fim bom.

A vida humana deve ser respeitada sempre. O aborto, em nenhuma circunstância é lícito. O aborto é sempre um crime.

Essa senhora que morreu por recusar matar seu próprio filhinho é uma heroína. Ainda há pouco, o Papa canonizou uma mulher por ter feito esse mesmo heroísmo, morrendo para que seu filho tivesse vida. Exatamente como Cristo morreu para que tivéssemos vida eterna, e em abundância.

O controle artificial da natalidade é ilícito.

Você veja que conseqüências trágicas está trazendo essa campanha internacional organizada pelo controle da natalidade: vários países estão a ponto de desaparecer. Considera-se um crime matar um mico leão dourado, pelo perigo da extinção dessa espécie animal, mas não se liga nada para o perigo da extinção de várias nações como a Espanha, a França e outras.

Deus que nos criou, e nos deu a sua lei. Ele mesmo é quem cuida de todos nós. Ele preveniu que não nos preocupássemos com o que havemos de comer e vestir, porque são os pagãos que pensam nisso. E nos recomendou: “Buscai antes de tudo, o reino de Deus e sua justiça e tudo o mais vos será dado em acréscimo” ( Mt VI, 33).

Veja, meu caro João, que é o controle da natalidade que está provocando a grande crise das aposentadorias, porque não há mais moços suficientes para sustentar o sistema previdenciário. E a crise vai se agravar cada vez mais, pois com a diminuição do número de nascimentos, haverá cada vez menos mão de obra suficiente para o trabalho, com queda certa da produção. Buscaram as riquezas deste mundo e o gozo, e não o reino de Deus e sua justiça, e tudo o mais lhes será tirado.

Você deve, sim, retornar à Igreja Católica Apostólica Romana, a única verdadeira Igreja de Cristo, procurando rezar para manter a sua fé intacta.

Você, além de rezar, deve estudar a religião católica por meio de um bom catecismo, mais profundo, com o Catecismo do Concílio de Trento.

Escreva-me quando tiver dúvidas ou precisar de algo, pois gostaria muito de ajudá-lo a recuperar a Fé.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli.

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Preciso de um Pastor - Orlando Fedeli

Cartas: Por que a Igreja não excomunga o pseudo Frei Betto? - Orlando Fedeli

Cartas: ´Servo de Deus` não crê na presença real de Cristo na Eucaristia - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais