Montfort Associação Cultural

1 de agosto de 2011

Download PDF

A validade de um casamento na Igreja Católica Brasileira

Autor: Guilherme Chenta

  • Consulente: Anônimo
  • Localizaçao: – Brasil
  • Escolaridade: Superior incompleto
  • Profissão: Professora
  • Religião: Católica

TENHO 30ANOS SOLTEIRA MORO EM X.
CONHECE MEU NAMORADO A DOIS ANOS E TEMOS MUITA VONTADE DE NOS CASAR,PARA CONSTRUIRMOS UMA FAMILIA. SO QUE MEU NAMORADO JA JA FOI CASADO E DE ACORDO COM A DOUTRINA DA IGREJA CATOLICA UMA PESSOA NÃO PODE SE CASAR DUAS VEZES NA IGREJA. MAS MEU MAIOR SONHO É PODER ME CASAR NA IGREJA E TER AS
BENÇÃOS DE DEUS NA NOVA FASE DE MINHA VIDA . FIQUEI CONHECENDO A IGREJA CATOLICA BRASILEIRA ATRAVEZ DE AMIGOS ,QUANDO FALEI DE MEU RELACIONAMENTO .
GOSTARIA DE SABER SE PODERIA ESTAR ME CASANDO NA IGREJA CATOLICA BRASILEIRA E ESTA RECEBENDO A BENÇÃO DE DEöS NA MINHA VIDA ,SOU CATOLICA E TENHO
DEUS O MEU CORAÇÃO E GOSTARIA MUITO DE PODER REALIZAR MEU GRANDE SONHO ,POIS SÓ ASSIM VOU PODER SER FELIZ DE VERDADE. GOSTARIA DE SABER SE TEM COMO
VOCÊS ME AJUDAREM E O QUE DEVO FAZER.

DESDE JÁ MEU AGRADECIMENTO E AGUARDO RESPOSTAS
 

São Paulo, 26 de julho de 2011
 
Prezada Cláudia, salve Maria!
 
Embora você não tenha pedido, decidimos trocar seu nome por um pseudônimo e omitir a cidade de sua residência, pois sua carta envolve uma questão não só particular, mas bem melindrosa, em que há grande probabilidade de você permitir que seus sentimentos falem mais alto que a verdade e de você, consequentemente, acabar ignorando o que vamos lhe dizer agora.
 
Que Nossa Senhora lhe conceda as graças necessárias para ver com clareza a verdade e tomar a atitude correta em relação a seu caso.
 
Você está prestes a cometer um segundo erro, que foi consequência de um primeiro erro, ambos graves, sendo o segundo mais grave que o primeiro.
 
Primeiro erro: namorar uma pessoa já casada na Igreja. E por dois anos!
 
Cláudia, o namoro não é uma diversão, mas uma preparação para o matrimônio. A partir do momento em que não há possibilidade de uma das partes contrair matrimônio, esse relacionamento deixa de ser um namoro.
 
Ele passa a ser qualquer coisa, menos um namoro, especialmente em seu caso, em que a possibilidade de núpcias é remotíssima (a mulher de seu “namorado” precisa vir a falecer) e em que sua relação com seu “namorado”, com intenções de constituir uma família, se configura como um adultério, pecado contra o 9º mandamento da lei de Deus.
 
Segundo erro: aderir, para se “casar” com seu “namorado”, ao cisma da Igreja “Católica” Brasileira, colocando-se, assim, à parte da Igreja Católica Apostólica Romana, fora da qual não há salvação.
 
Não sei se você sabe, mas a Igreja “Católica” Brasileira (ICAB) não tem nada de católico. Trata-se de uma seita não só cismática, porque não unida ao Papa, mas também herética, porque nela se contrariam vários pontos dogmáticos e/ou disciplinares da Igreja Católica. Seu fundador, Dom Carlos Duarte Costa (1888 – 1961), foi excomungado pelo Papa Pio XII e, antes que a bula chegasse, começou essa tal Igreja “Católica” Brasileira (ICAB), em 6 de julho de 1945.
 
Entre os pontos dogmáticos e/ou disciplinares da Igreja Católica negados por Dom Carlos, que fora bispo de Botucatu, interior de São Paulo, estão:
 
1.      A infalibilidade papal;
2.      O primado do papa;
3.      O celibato obrigatório para os sacerdotes;
4.      A impugnação da confissão auricular;
 
Além disso, ele fez ainda uma defesa liberal do divórcio e é também tido por alguns como precursor, no Brasil, da Teologia da Libertação, tendo fundado, em 1945, o Partido Socialista Cristão.
 
Veja o que podemos ler na página “História”, do próprio site da ICAB:
 
     Dom Carlos, já separado da Igreja de Roma, continuou a pregar a palavra de Deus. E, sem se deixar abater pelo cisma que provocara, viu que Cristo lhe havia confiado esta importante      e Santa Missão: fundar uma Igreja do povo, pelo povo e para o povo, que teria a mesma Fé Católica e Apostólica, mas se diferenciando por não ser Romana e, sim, Brasileira, capaz de      se expandir pelo mundo, sem aquele poder imperialista, mas com a glória do poder do Espírito Santo. Sem um “Papa”, líder soberano e “infalível” – só Deus é Infalível e Soberano -, sem      dogmas, pois o homem tem o livre arbítrio dado por Deus; sem a obrigatoriedade do Celibato, pois o casamento é uma Instituição Divina; sem discriminar a mulher que sempre      teve uma presença marcante em todas as Igrejas cristãs; tudo isso com uma inabalável Fé em Cristo Jesus Nosso Senhor, andando de mãos dadas com a Ciência; desfraldando a sua      nova bandeira de luta, por Deus, Terra e Liberdade.
 
E esse homem perverso (ou completamente doido, como nos disse um padre da diocese de Botucatu certa vez) foi canonizado pela própria ICAB em 1970. Por eles, é tido como “São Carlos, fundador da Igreja Católica Brasileira”. Que “glória”!
 
Enfim, sabemos que é duro o que estamos lhe dizendo, mas se você se casar na Igreja “Católica” Brasileira, Deus, portanto, não vai lhe abençoar.
 
Mais do que isso: seu casamento não vai sequer existir. Será nulo duas vezes: não só porque seu “namorado”, por já ser casado, não pode se casar novamente, mas também porque a Igreja “Católica” Brasileira não tem jurisdição para realizar qualquer casamento. Ainda que entre dois católicos solteiros, para deixar bem claro.  
 
A única bênção que Deus pode lhe conceder agora, nesse momento de “namoro” adulterino, é a graça de se converter e de abandonar seu “namorado”.
 
Ao desobedecer as leis de Deus e de sua Igreja, não tem como você ter Deus em seu coração, como nos disse. Você está se enganando, mentindo para si mesma.
 
Confie em Deus, Nosso Senhor. Coloque-se nas mãos de Nossa Senhora, mãe da divina Providência. Eles vão cuidar direitinho de sua pessoa, se você agir bem, isto é, de acordo com os mandamentos de Deus e da Igreja fundada por Ele, que é apenas a Igreja Católica Apostólica Romana, fora da qual, repetimos, não há salvação.
 
Vamos pedir a todos os leitores desta carta que rezem pelo menos uma Ave-Maria por você, que tem uma dura batalha pela frente.
 
Hoje, rezamos (rezei) por você na Missa.
 
Forte abraço, Cláudia. E coragem.
 
Jamais se esqueça de que a única coisa que vale a pena nesta vida é aderir à vontade de Deus. E de que Nosso Senhor é bom pagador.
 
Que Nossa Senhora a guarde e proteja.
 
E livre o Brasil da Igreja “Católica” Brasileira.
 
Guilherme Chenta

TAGS

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais