Montfort Associação Cultural

2 de fevereiro de 2005

Download PDF

A favor da religião, mas contra a Igreja

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Daniel
  • Idade: 19
  • Localizaçao: Belo horizonte – MG – Brasil
  • Escolaridade: 2.o grau concluído
  • Profissão: Estudante
  • Religião: Católica

Muito prazer doutor Fedeli,
gostaria de esclarecer que não é de minha intenção ser prepotente, afinal tenho apenas 19 anos e tenho muito o que ler e aprender se comparado com senhor.

Quando nasci fui batizado em Igreja católica, cresci em meio a pessoas cristãs, como a minha querida avó e pais. Porém com o tempo comecei a achar um tanto estranho algumas posições da instituição e muitas vezes até contraditórias.
Tenho fé em Deus, entretanto sou contra qualquer tipo de organização que envolva uma espécie de líder óu chefe espiritual.
Para crer em Deus basta a fé e é isso em que acredito. Quando Jesus nasceu não existia outra religião senão a Judaica(posso estar extremamente equivocado, me perdoe) que tinha suas bases no monoteísmo.
Acho bonito as pessoas se reunirem para homenagear a Deus. Mas acho errado alguem tirar vantagem da fé dos outros.
Conquistas de territorios, sacrificios devido a intolerancia, desordem, caos.
São todas essas caracteristicas das Igrejas.
“Não matarás”, mas o homem matou em nome de uma instituição, e diz ser em nome de Deus.
O Deus em que acredito não é um matador, não é intolerante, não possui ambição e tem lugar para todos em sua benevolência e paz absoluta.
Jesus disse ser o pastor e agora homens assim se entitulam.

Além do previamente exposto, creio eu Igreja interfere na vida das pessoas e principalemnte em seu livre arbitrio, o que também considero errado. Se querem acreditar no demonio, que o façam e sofram as consequencias de suas atitudes.
Como diria Sartre é agir de má fé entregar suas escolhas para outro ou escolher para o outro.

Obrigado pela a atenção, receber sua opinião sobre o assunto.

Muito prezado Daniel,
Salve Maria!
 
    Obrigado pela confiança que você manifesta em nós, expondo algumas de suas considerações. Peço-lhe que você considere o seguinte raciocínio:
    Você afirma que “Para crer em Deus basta a fé e é isso em que acredito”.
 
    Ora, Deus sendo infinito e bom, governa toda a natureza pelas leis que nela estabeleceu. Sendo criaturas devemos ao Criador nossa homenagem e obediência.
 
    Homenagem e obediência são o que nos impõem os dez mandamentos que Deus revelou a Moisés no Sinai, mas que o homem pode conhecer também pela razão natural. Logo, não basta ter fé e acreditar em Deus, é obrigatório obedecer ao que Ele determinou.
 
    Você me escreve ainda: “O Deus em que acredito não é um matador, não é intolerante”.
 
    Meu caro, isso é uma absurdo. Foi Deus quem nos castigou com a morte, depois do pecado de Adão. E Deus, sendo infinitamente bom, não tolera o mal e nem a mentira, punindo os pecadores.
 
    E você cita Sartre, para defender que ninguém pode interferir no pensamento alheio. Mas você não percebe, meu caro Daniel, que Sartre — logo Sartre! – está influenciando seu modo de pensar e de pensar errado?
 
    E escrevendo-me esta carta não está você procurando interferir em meu pensamento?
 
    Eu lhe digo sinceramente: quero sim interferir em seu modo de pensar, convencendo-o com argumentos, a fim de convertê-lo à única religião verdadeira, que é a Católica Apostólica Romana, para salvar a sua alma. E assim Deus me ajude.
 
In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Protestantismo e conservadorismo

Documentos da Igreja: Bula Quo Primum Tempore

Cartas: Concílio Vaticano II: 41 anos de conquistas ou de fracassos? - Marcelo Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais