Montfort Associação Cultural

13 de julho de 2005

Download PDF

A dialética de Pedro Abelardo

  • Consulente: Bruno Luís de Lima Santana
  • Localizaçao: Salvador – BA – Brasil
  • Escolaridade: Superior em andamento
  • Profissão: Professor/operador Telemarket
  • Religião: Católica

Caros amigos do site Montfort,
Christus vincit, Christus regnat, Christus imperat!

Tenho ouvido falar em Pedro Abelardo, um francês que no ano de 1121 criou a obra dialética sic et non. Gostaria de saber se essa dialética aplicada por ele (que se inspirou na lógica dos gregos da Antiguidade) repercutiu no mundo de hoje (sei de um caso, o de Guilherme de Ockham, que com o seu nominalismo influenciou sistemas inclusive no século XX). E, como tudo o que sei sobre ele é o que está nesta carta, gostaria de saber mais sobre a sua vida, suas obras e sua disputa com S. Bernardo de Claraval, se não estou enganado.
Muito obrigado.
In Iesu et Mariae,
Bruno

Caro Bruno, salve Maria.
 
Apesar de Pedro Abelardo ter alguns erros doutrinários que o fizeram ser condenado algumas vezes e pelos quais foi expulso de várias escolas filosóficas, seu método dialético teve bastante importância. Foi esse método que acabou por estabelecer o modo de se fazerem as principais obras de filosofia medievais: as Sumas de Teologia e as Questões Disputadas. Esse método consiste em agrupar a respeito de uma questão todos os argumentos favoráveis e os desfavoráveis, ou em relação a uma pergunta todas as respostas num sentido e as respostas no sentido contrário.
 
Quanto à doutrina filosófica, ele participou do grande debate da filosofia medieval, a questão dos universais. Você pode consultar mais sobre isso no site, especialmente no trabalho sobre o Nome da Rosa. Abelardo, nesse debate, apesar de tender para o racionalismo, teve uma posição aparentemente equilibrada, ele nem era nominalista (os nominalistas negavam a existência das idéias, eram materialistas e vão acabar negando, por fim, que o homem possa conhecer a realidade), nem era realista (os realistas acreditavam que as idéias realmente existiam como seres independentes das coisas, numa realidade imaterial, superior, eram místicos e negavam a bondade do mundo material), embora tenha sido aluno de Guilherme de Champeaux, defensor do realismo e de Roscelin, defensor do nominalismo.
 
Quanto a suas posições teológicas, acabou por defender o sabelianismo, doutrina que nega a trindade de Deus, dizendo que as pessoas são apenas distintos modos nos quais Deus se manifesta. Foi por causa dos erros doutrinários que São Bernardo trava um debate com Abelardo e o derrota. Abelardo, por causa disso, é, então, proibido de dar aulas.
 
Se você ainda quiser mais informações escreva-nos novamente.
 
Que Nossa Senhora sempre o guie,
Maria Estela

TAGS

Publicações relacionadas

Artigos Montfort: Beto-Juca-Pato - Orlando Fedeli

Cartas: Monge modernista é contra o Dominus Iesus - Orlando Fedeli

Cartas: “Mística Cidade de Deus” de Maria de Ágreda - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais