Montfort Associação Cultural

5 de outubro de 2005

Download PDF

A CNBB não é a Igreja

Autor: Orlando Fedeli

  • Consulente: Francisco Menezes
  • Localizaçao: Fortaleza – CE – Brasil

Pelo o que tenho lido aqui sobre este assunto, parece-me que vocês não estão comungando com a Santa Madre Igreja. Vejam o documento abaixo:



CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL
43ª Assembléia Geral
Itaici,Indaiatuba-SP, 9 a 17 de agosto de 2005
43ªAG(Doc)

DIGA SIM À VIDA
Nota a respeito do Referendo sobre a proibição do comércio de armas de fogo e munição

Notícias de violência e morte invadem diariamente nossos lares através dos meios de comunicação social. O porte e o uso indiscriminado de armas de fogo transformam, muitas vezes, conflitos banais em tragédias. Conforme dados disponíveis, em um ano (2002), foram mortas 38.000 pessoas, em média 104 por dia. A cada 14 minutos é ceifada uma vida. O Brasil é o país com o maior índice de assassinatos por armas de fogo.

Muitos pensam que a posse de uma arma é garantia de segurança e proteção. As estatísticas, porém, mostram que, numa situação de assalto, pessoas que usam armas de fogo têm maior probabilidade de serem assassinadas.

Jesus proclama “bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus” (Mt 5,9). Ele mesmo não se defendeu ao ser preso e condenado à morte, mas disse a Pedro: “Guarda a espada na bainha! Pois todos que usam a espada pela espada morrerão” (Mt 26,52). Os cristãos, imitando o seu Senhor, buscam a paz desarmando a mente, o coração e as mãos.

A Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2005, com o tema Solidariedade e Paz, incentivou as Igrejas no Brasil a se unirem na oração e na promoção da cultura de paz.

Um gesto concreto sugerido pela Campanha é a participação no Referendo do próximo dia 23 de outubro, quando o povo é convocado a pronunciar-se sobre a proibição do comércio de armas de fogo e munição em todo o território nacional.

Com o Referendo, somos chamados a contribuir ativamente na consolidação das instituições democráticas. Será uma ocasião histórica para o exercício da soberania popular através do voto.

Como bispos da Igreja Católica e cidadãos, posicionamo-nos a favor da proibição do comércio de armas de fogo e munição. Conclamamos os cristãos e todas as pessoas de boa vontade a votar SIM neste Referendo.

Proibir o comércio e o uso de armas é um passo decisivo, mas não suficiente. Somos contrários a todo e qualquer tipo de violência. Além da melhoria da Segurança Pública, é indispensável educar para a paz e a defesa da vida, através de práticas de não-violência ativa.

Itaici, 15 de agosto de 2005.

Muito prezado Francisco,
salve Maria!
 
    Que confusão a sua! 
    Você está identificando a CNBB com a Igreja. A CNBB não é a Igreja. 
    Esse é um erro clamoroso.
 
    A Igreja condena o socialismo, e afirma que ninguém pode ser católico e socialista ao mesmo tempo.
    O PT é oficialmente socialista e concretamente comunista. 
    E a CNBB criou o mito Lula, e sempre apoiou Lula e o PT.
    
    O PT é oficialmente favorável ao aborto.
    A Igreja excomunga quem defende o aborto,
    A CNBB apóia Lula apesar de ele favorecer o aborto e ter aprovado os uso de embriões (seres humanos) para experiências.
   
    A Igreja condena a greve de fome como suicído, ou como tentativa de suicídio.
    Um Bispo da CNBB está fazendo greve de fome. Quando se ouviu coisa igual?
    A CNBB apoiou o Bispo que escandalosamente está fazendo greve de fome…
   
    A Igreja reconhece o direito de propriedade como um direito natural, e diz que é pecado mortal pegar o que é de outros, e mesmo cobiçar o que é dos outros.
    A CNBB ajuda e incentiva o MST a invadir propriedades alheias, coisa condenada por dois mandamentos da lei de Deus.
   
    A Igreja reconhece o direito natural de legítima defesa.
    Agora o PT — como fizeram sempre os partidos comunistas para tomar o poder — promove o desarmamento da população, enquanto procura tomar o Estado com mensalões e mentiras, elegendo um pizzaiolo-mór comunista para Presidente da Câmara de Deputados.
    A CNBB apoia o desarmamento do povo. Mas ela provavelmente se calará quando as armas dos comunistas fuzilarem os católicos.
 
    Cristo disse aos Apóstolos – aos Bispos – “ide e ensinai
    A CNBB — infelizmente – ensina o quê?
 
    A Montfort segue, sim, o que ensina a Igreja, na forma como a Igreja o exige.
    É a CNBB que resiste às determinações do Vaticano, por exemplo, em matéria de abusos na Missa, e na resistência a colocar confessionários nas Igrejas, desobedecendo ao que o Papa mandou.
    Ainda agora, Bento XVI está combatendo a infiltração gay no clero. E já existem manifestaçõeses de padres favoráveis a gays nos seminários e no clero…
    Ah como seria bom se o Vaticano mandasse Visitadores Apostólicos aos seminários brasileiros!…
    Passe bem.
 
Orlando Fedeli

TAGS

Publicações relacionadas

Cartas: Escândalo: Missa caipira em Dourados-MS

Cartas: Comunhão na mão - Orlando Fedeli

Cartas: Gênios ateus - Orlando Fedeli

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais