Montfort Associação Cultural

7 de dezembro de 2012

Download PDF

Segundo Domingo do Advento: Leituras da Liturgia Tridentina e comentário

Do site  Missa Tridentina em São Sebastião

Domingo, 09/12/2012: Leituras e Comentário ao Evangelho

 

 

2º DOMINGO DO ADVENTO

 

1ª Classe – Paramentos Roxos

 

 

 

Epístola de São Paulo Apóstolo aos Romanos 15, 4-13.

 

Irmãos: Tudo quanto outrora foi escrito, foi escrito para a nossa instrução, a fim de que, pela paciência e consolação que dão as Escrituras, tenhamos esperança. O Deus da perseverança e da consolação vos conceda o mesmo sentimento uns para com os outros segundo Jesus Cristo, para que, unânimes e a uma só voz, glorifiqueis a deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Por isso, acolhei-vos uns aos outros, como também Cristo vos acolheu para a glória de Deus. Digo que Cristo Jesus se tornou ministro da circuncisão, para manifestar a veracidade de deus para cumprimento das promessas feitas aos Patriarcas. Quanto aos pagãos, eles só glorificam a deus em razão de sua misericórdia, como está escrito: Por isso eu te louvarei, Senhor, entre canções e cantarei louvores ao teu nome. Noutro lugar: alegrai-vos, nações, com o seu povo. E ainda diz: Louvai o Senhor, nações todas, e glorificai-o, todos os povos! Isaias também diz: Da raiz de Jessé surgirá um rebento que governará as nações; nele esperarão os gentios. O Deus da esperança vos encha de todo o gozo e de paz na vossa fé, para que, pelo poder do Espírito Santo, superabundeis na esperança!

 

 

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 11, 2-10.

 

Naquele tempo: Tendo João, em sua prisão, ouvido falar das obras de Cristo, mandou-lhe dizer pelos seus discípulos: “És tu aquele que há de vir, ou devemos esperar outro?” Respondeu-lhes Jesus: “Ide e contai a João o que ouvistes e o que vistes: os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são limpos, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam, o Evangelho é anunciado aos pobres… Bem-aventurado aquele para o qual eu não for ocasião de queda!” Tendo eles partido, disse Jesus à multidão à respeito de João: “Que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento? Que fostes ver então? Um homem vestido de roupas luxuosas? Mas os que estão revestidos de tais roupas, vivem nos palácios dos reis. Mas então, por que fostes para lá? Para ver um profeta? Sim digo-vos eu, mais que um profeta. É dele que está escrito: Eis que eu envio meu mensageiro diante de ti para te preparar o caminho.”

 

Traduções das leituras extraídas do Missal Quotidiano por Pe. Gaspar Lefebvre OSB (beneditino da Abadia de Santo André) – Bruges, Bélgica: Biblica, 1963.

 

 

Comentário ao Evangelho do dia feito por

 

Santo Ambrósio (340-397), bispo de Milão e doutor da Igreja

Comentário ao Evangelho de Lucas 5, 99-102 (extraído do site da Diocese de Cruzeiro do Sul )

 

 

“És tu aquele que deve vir?”

 

O Senhor, sabendo que sem o Evangelho ninguém pode ter uma fé plena – porque se a Bíblia começa pelo Antigo Testamento, é no Novo que ela atinge a perfeição – não esclarece as questões que lhe põem acerca dele próprio por palavras, mas pelos seus atos. “Ide, disse ele, contai a João o que virão e ouviram: os cegos vêem, os coxos andam, os surdos ouvem, os leprosos são purificados, os mortos ressuscitam, a Boa Nova é anunciada aos pobres”. Este testemunho é completo porque foi dele que profetizaram: “O Senhor liberta os prisioneiros; o Senhor dá vista aos cegos; o Senhor levanta os caídos… O Senhor reinará eternamente” (Sl 145, 7s). Estas são as marcas de um poder não humano, mas divino…

 

Contudo estes não são ainda senão os mais pequenos exemplos do testemunho trazido por Cristo. O que funda a plenitude da fé é a cruz do Senhor, a sua morte, o seu sepulcro. É por isso que, depois da resposta que citamos, ele diz ainda: “Feliz daquele que não cair por minha causa”. Com efeito, a cruz podia provocar a queda dos próprios escolhidos, mas não há testemunho maior de uma pessoa divina, nada que mais pareça ultrapassar as forças humanas, que esta oferta de um só pelo mundo inteiro. Somente por isso o Senhor se revela plenamente. Aliás, é assim que João o designa: ”Eis o Cordeiro de Deus, eis aquele que tira os pecados do mundo” (Jo 1, 29).

Publicações relacionadas

Oração e Vida Espiritual: Próprio da Missa de Sábado das Têmporas do Advento

Oração e Vida Espiritual: Liturgia tridentina do Domingo, 10 de novembro de 2013

Oração e Vida Espiritual: Natal do Senhor: Missas do Dia na Liturgia Tridentina

Para comentar esta publicação

O site Montfort não permite a inclusão de comentarios diretamente em suas publicacões.

Para enviar comentários, sanar dúvidas, obter informações, ou entrar em debate conosco, envie-nos sua carta.

Saiba mais